Saturday, November 08, 2008

Tangará Brasil Dance


Foto: Sonya Cipriano

Uma bela tangará bailarina passou
novamente por aqui
e dancou elegantemente
para mim
E uniu a terra e as estrelas
e fez do mar
coisa nenhuma
e o Brasil era
um Samba em Berlin.

Veja o video-tangará abaixo:

Saturday, October 11, 2008

Um pequeno detalhe dos anjos



Um pequeno detalhe dos anjos
apenas um sopro de música
sútil e persiste
naquela parte religiosa de Berlin
A velha catedral do Dom
recebeu a noite como uma noiva
a lua lá no céu era artificial
mas os anjos brincavam
de contar as estrelas
e vigiar a cidade metrópolis
que fervia lá embaixo!

Wednesday, September 10, 2008

NOTURNA FOTOGRÁFICA



A noite se derrama serena
Em meu copo de vinho
Ao longe vem a música fina
e persistente
de um violino clássico

de luz só uma vela vermelha
que marca o compasso das horas
a calma do instante
e a lembrança de um click
que se refugiou no
inesperado momento

O que sonhas, Menino?


O que sonhas, Menino?

- com anjos alados tocando guitarras
e trombetas no Portão de Brandenburg,
numa algazarra infernal e engraçada ?

- em dragões terríveis de todas as cores
invadindo a cidade e atrapalhando
a rotina das burocracias ?

- no tal Homem-aranha subindo
pelos prédios mais altos de Nova Yorque
perseguido por um Vilão-máquina
que só existe em filmes de ação ?

- ou naquela menininha de trancas
e fitas coloridas nos cabelos negros,
que quase atropelou você com sua
bicicleta azul e seu sorriso
de Fada sininho, apaixonada
pelo Peter Pan?

Afinal, o que sonhas, Menino?

Wednesday, September 03, 2008

A Passista

Foto: Ras Adauto Berlin

A Passista se concentra para entrar em cena.

Mede a sua pulsacao e seu gingado.

Daqui a pouco os pandeiros e tambores

exigirao seu corpo monumental no palco

e todo o publico será tomado

pelo extase de sua beleza

e pelo compasso perfeitode seu samba

e a batucada ganhará o mundo

mas antes que isso aconteca

um click rouba imperceptível

um instante seu

ainda nos bastidores!

A Bela Poesia

Foto & Montagem: Ras Adauto Berlin

A bela poesia passou por aqui
essa manhã
E ainda sinto o cheiro de seu perfume nas coisas
Eu ia matar essa manhã
Num grande espetáculo privado
sem televisão ou jornais
Mas a bela poesia passou por aqui
e ficou por uns instantes
olhando-me com seus olhos de fogo
dança mel e êxtase
Aí eu não quis mais morrer à toa
e toda a minha dor se dissolveu
ao sol e aos lábios daquela
que nem sei o nome direito
e em que país habita


Friday, August 29, 2008

As Donas do Oráculo

 

Elas imaginam que podem prever o futuro
em conchas, borra de café, pedaços de marfim
Elas tão belas e teatrais
Imaginam-se as donas dos mistérios
mais antigos das matriarcas gregas
numa Casa Criativa em Berlin

O Olhar de Leon




Olha-me para seu ponto fixo
Lá onde a lente oportuna e curiosa
lhe observa
Um momento só
e um flash de luz único
e súbito
abre a porta
de um instante
mais do que eterno
Depois observe
esse seu instante
que ficou gravado
num chip qualquer
guardado no fundo
de tudo
Lá onde luz e sombras
se revelam e se
intercomunicam.

Thursday, August 28, 2008

O Retrato


Foto/colagem: Ras Adauto Berlin

O que me olha atrás das lentes
que num piscar de olhos
afunda-me num eterno freeze
apenas um click e a eternidade
é logo ali
eu nunca pensei
numa eternidade digital
ou numa possibilidade
maquiada em photoshop
mas o meu retrato está ali
sobrerano belo e aplicado
como uma poesia
que se refugia
na imagem congelada do meu rosto
apenas um silencio
nos contempla agora
e por trás de tudo
ficou aquele click oportuno
que roubou um instante de mim
e na parede do meu retrato
um espectro de um menino
também congelado em um click
passado e igual oportuno
me observa sensual

Tuesday, July 29, 2008

Tangará Tanz



Um tangará pousou em minha janela
e eu perguntei ao lindo passarinho:
o que fazes aqui, meu amiguinho,
assim tão cedo
e tão longe de sua morada?
E o passarinho, dando uns passos
ritmados e perfeitos, falou-me:
vim aqui para dançar um pouco
pra voce,
antes que seja tarde demais.
E o passarinho dançou e dançou
um perfeito bailarino ali na minha janela
e de repente se foi
e nunca mais o vi
mas sua dança ficou morando lá
dentro de mim
bailando na minha alma
para sempre.
=====================
Tangará é o pássaro bailarino
que também se chama Saíra-pintor
Dizem que é conhecido no Brasil
desde o século XVII, quando um
naturalista de nome Macgrave
se meteu pelos matos de Pernambuco
e Alagoas e topou com os primeiros
Tangarás que se tem notícias.
Os tangarás raramente pousam no chão,
passando a maior parte do tempo
nos arbustos e nas árvores.
Alimentam-se de frutas, grãos,
sementes e insetos.
Hoje estão ameacados de extinção.
O nome tangará vem do tupi tãga 'rá.
Os Guaranís, ainda hoje, reproduzem em suas aldeias
"A Danca dos Tangarás"

Tangará em Berlin é uma Academia e Agência
de Danças Brasileiras...
(Veja o vídeo do Tangará Tanz-Berlin)

video

Video: Ras Adauto Berlin

Thursday, July 24, 2008

Mãe Beata de Yemanjá lê e representa seus contos em Berlin


Mãe Beata de Yemanjá e o Babalorishá, seu filho,
Murah de Oyá
, Zelador do Ilé Axé Oyá, Berlin

Na sexta-feira de Obatalá, dia 18 de julho de 2008,
a Yalorișa Mãe Beata de Yemanjá leu contos de seu livro "Caroço
de Dendê" e fez uma bela performance, representando um dos contos.
O palco foi o salão do Centro Intercultural Forum Brasil e também Ilé Așe Oyá, em Berlin. O poeta Ras Adauto estava lá e fez essas imagens com o seu Handy (celular).


video

video

Foto e videos: Ras Adauto Berlin

Saturday, July 05, 2008

O Cognac Feliz



A noite desceu

com seu negro cavalo veloz

e se dissolveu

em meu copo de cognac


A bela moça

que entrou no bar

parecia saída

de uma magazine


Acompanhei seus passos graciosos

até ao balcão

- para comprar cigarros -

como olhasse

uma fotografia viva

sem nenhuma prega

de photoshop


Tomei o meu conhaque

com o maior prazer do mundo

e chamei o garçon:

por favor, meu bom,

outro cognac!


A noite e seu cavalo veloz

e a bela moça repentina

brincavam dentro de mim


O segundo conhaque

desceu redondo e quente

e eu me senti

estúpidamente feliz

e tranquilo comigo mesmo.


Saí daquele bar

assoviando um samba

até que um tiro

detonou na noite

do meu sossego.

Wednesday, June 25, 2008

Eu nasci das pedras, hoje sou um índio metropolitano!



Eu nasci das pedras
Por isso sou assim duro
como as águas dos rios
e uma onça na espreita
Tenho o gosto de todo mundo
e debaixo de minha língua
mora o sol
Ainda ontem eu era
uma nação indígena inteira
hoje sou um índio metropolitano
e no meu coração
mora o condor dos Andes

Eu nasci das pedras
e me desfolho no ar
como um segredo de pajés
que civilização ocidental nenhuma
sabe decifrar

Eu nasci das pedras
e trago dentro de mim
aquilo que o poema dos Tupinambás
e a flauta dos Kamayurá
marcaram no corpo infame
do Brasil!

Eu nasci das pedras!

Ras Adauto Berlin
26.06.2008

Tuesday, June 03, 2008

O cavalinho negro de clinas negras de seda



Era um cavalinho negro

De clinas negras de seda

Que brilhavam ao sol

E ia o cavalinho por aquele caminho

Onde passam todos as memórias

Passam todas as histórias

E todos os bichos,

desde os mais simpáticos

até os mais esquisitos

até uma onça raivosa

dizem que passou por aquele caminho

e ia por ali o cavalinho negro

de negras clinas de seda ao sol

e encontrou o menino

sentado numa pedra

bem na beira do caminho

e ao ver o cavalinho negro

de clinas negras de seda

o menino quis logo

possuir aquele cavalinho

mas o cavalinho negro

de seda as clinas negras

lhe disse com todas letras e ypsilonis

pois é, esse cavalinho falava

como as gentes

e falou com o menino

menino eu não sou

nenhum brinquedo

nem propriedade de ninguém

me deixe passar por esse caminho sossegado

pois não posso faltar ao encontro

que tenho com meus parentes

lá no por do sol

e quando o menino se deu conta

lá ia lá longe o cavalinho negro

de clinas negras de seda

sumindo no fim do caminho

em direção ao por do sol

e coube ao menino

sentado à beira do caminho

ficar imaginando que tudo

o que tinha visto e ouvido

não passava de um sonho

ou um delírio febril por causa

do sol quente que queimava

em cima de sua cabeça

mas lá longe, bem de longe mesmo

veio um relincho de cavalo

trazido pelo mensageiro do vento

que soprou de repente

naquele caminho de sol


Ras Adauto, 02.06.2008



Tuesday, February 26, 2008

O Bicho Cabeludo



O Bicho Cabeludo Labatut


O Bicho Cabeludo não mora no buraco da Alemanha

Nem nos Alpes, em Kilimanjaro ou nas matas da Amazônia

O Bicho cabeludo não é um vírus de internet

Não é um “alien” de Game ou galã de novela de televisão

O Bicho Cabeludo não tem cachorro, papagaio, girafa ou dragão

O Bicho cabeludo passeia no espelho do sonho do menino

Ou mora no medo oculto da menina que mora ali

No quarto andar do meu edifício

O Bicho Cabeludo só aparece à noite

Quando os grilos tocam seus afinados violinos

E a lua se espreguiça lá no céu

No meio das nuvens e das estrelas brilhantes.

Tuesday, January 15, 2008

O escritor e poeta Ras Adauto recomenda:


"Meine afrikanischen Lieblingsmärchen" - Nelson Mandela

("Minhas histórias infantis africanas preferidas")


Seria interessante traduzir para o portugues e publicar no Brasil.

Ras Adauto
Nijinski Arts Internacional e.V.- Berlin
www.rasadauto.blogspot.com